12 março 2008

Muita calma nessa hora...e nas demais também


Choque cultural: hoje aprendi uma lição.

Já estava cansada de ouvir falar que as pessoas aqui trabalham num ritmo muito lento mas até então não havia passado por isso porque no projeto em que estou já me deram prazos curtíssimos.

Pois bem, às 9h30 desta segunda-feira minha gerente russa me pede para atualizar um documento de 6 páginas e formatá-lo no novo layout. Antes do meio-dia meu trabalho já estava pronto, mas como me dizem para não ter pressa, enviei o documento por e-mail às 16h30 achando que eu tinha demorado demais.

Ela não deve ter visto o e-mail e hoje veio me perguntar sobre o documento que eu já havia colocado na intranet na própria segunda. Ela ficou espantadíssima e soltou um "Oh my God, you're so fast!". E eu fiquei com cara de tacho.

Depois minha colega de trabalho, que já é gato escaldado, disse que se eu continuar nesse ritmo a gente não vai ter mais trabalho e nosso contrato vai acabar antes do prazo. E eu pensando que tinha sido lerda o suficiente! Não; ela disse para eu nunca entregar um serviço no mesmo dia em que ele é solicitado porque aqui as coisas são assim.

Talvez por isso a taxa de desemprego seja baixa porque 3 pessoas fazem o trabalho que 1 sozinha conseguiria fazer.
No Brasil eu sempre trabalhei por 3 e quanto mais rápido entregasse o serviço mais satisfeitas ficavam as pessoas.

Talvez eu esteja "errada" em ser rápida porque em São Paulo é tudo assim. Já ouviram a expressão "jacaré parado vira mala"?

Como sou uma pessoa prática, dinâmica e precavida com prazos sempre procuro ter tudo pronto antes do previsto para evitar imprevisto, e isso vale para todos os apectos da minha vida. Sou impaciente e ansiosa? Sim, demais! Não suporto gente lerda, mas é gente lerda que move o mundo!

Quando ia para Curitiba quase enfartava com a demora nos serviços de restaurantes. Quando vou passar no caixa dos supermercados daqui tenho vontade de tomar o lugar da operadora e passar eu mesma as coisas porque a demora é absurda.

Não nasci em SP mas me considero paulistana e como tal, tenho pressa no trânsito, na fila do cinema e faço de tudo para não chegar atrasada aos compromissos. Estou sempre tentando otimizar meu tempo (da forma errada). Grande burrice!

Eu vim pra cá para ter uma qualidade de vida melhor, sair da loucura que é São Paulo, ter um ritmo de vida mais lento e saudável...mas eu me esqueci disso.
Para vocês terem idéia eu não consegui fazer aula de Yoga porque é lenta demais, não tive paciência!

Pois bem, é hora de mudar e esse processo será doloroso. Morrerei de tédio no trabalho mas quem sabe um dia eu aprenda a fazer tudo com calma, muuuuuuita calma. E pode ser que a partir desse dia eu nunca mais tenha gastrite ou úlcera novamente.

E como Zeca Pagodinho, minha vida daqui pra frente será como diz sua canção:

"É devagar
É devagar
É devagar, é devagar, é devagarinho..."

11 comentários:

guerson disse...

hehehe, se vc ficar muito entedeada, vc pode ir trabalhar para a area administrativa de alguma companhia area. Eu sempre fico maravilhada quando vejo as pessoas comentando o quão tranquilo o trabalho delas é... Pois onde o Alan trabalhava na Air Canada, todo mundo fazia o trabalho de tres pessoas (já que estão sempre cortando os funcionarios por causa de queda no faturamento, e como o pessoal que trabalha na parte administrativa são os únicos não-sindicalizados, eles são os primeiros a ser mandados embora) e tudo era pra ontem.

Na universidade a coisa também é super intensa...

K disse...

hahahaha eu também sou meio assim, acelerada.

Mas lá no trabalho eu já estou aprendendo a separar duas horas (!!!) do meu dia pra efetivamente trabalhar. O que chegar depois, eu faço no dia seguinte, nas duas horas. No resto do tempo eu leio blogs :) (e não acumula trabalho)
E nas minhas duas horas eu sou mais eficiente do que muita gente por lá.

Confesso que é difícil ver trabalho em cima da mesa e não pegar pra fazer logo, mas estou me acostumando. Acho que vou chegar aí calibrada já - rs!

Beijo!

K.

;) Conexao Toronto disse...

ahahaha.. tambem sempre fui assim e meu trabalho eh muito tecnico, entao praticamente soh depende de mim.. Tb estou me ajustando e fazendo as coisas mais devagar..
Como dizia a musiquinha de uma propaganda: "para um pouquinho, descansa um pouquinho.."

;)

Alessandra disse...

Isso é uma coisa que nunca tinha pensado: nós brasileiros (pelo menos muitos dos que conheço e que moram em SP) são extremamente acelerados... Parece que é da essência da pessoa. Pra mim, fazer as coisas de forma muito lenta é um partio, pior do que fazer a 200km/h!

Ah, deixa eu me apresentar: sou Alessandra, casada com o Rodrigo, pesquisando tudo sobre o Canadá para aplicar como imigrante.
Já me inteirei sobre tudo no site do Consulado e agora leio uns blogs pra ver quais são as impressões das pessoas que já estão aí.

Voltarei mais vezes para ler seus relatos, ok?
Abraços,

Augusto disse...

Jeanne, pelo que vi de outros brasileiros aí não é todo lugar que é assim. De qualquer forma, quem foi "forjado" para o trabalho em São Paulo enfrenta qualquer parada.

Aliás, ri muito com sua menção aos restaurantes fora de SP. Eu também sofro demais!!! Paulistanos neuróticos sempre :-)

Mariana disse...

Deve ser muito bom poder desacelerar... sonho com isso! Não gosto de ficar parada, sem fazer nada, então vai ser um grande execício pra mim também!

Boa sorte!!!

Abraços,
Mariana

Taís Jacques disse...

Eu tb sou assim, não gosto de deixar trabalho para depois......Meu lema é nunca deixe para amanhã o que pode fazer hoje, amanhã a gente nunca sabe o que nos espera.......hahahahaha.., mas deve ser muito bom diminuir o ritmo, isso nos dá mais qualidade de vida com certeza...
abraços

Taís Jacques

Taís Jacques disse...

Eu tb sou assim, não gosto de deixar trabalho para depois......Meu lema é nunca deixe para amanhã o que pode fazer hoje, amanhã a gente nunca sabe o que nos espera.......hahahahaha.., mas deve ser muito bom diminuir o ritmo, isso nos dá mais qualidade de vida com certeza...
abraços

Taís Jacques

Paula Regina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Paula Regina disse...

eu de você não reclamaria não, pois como vc mesma observou a qualidade de vida só vem mesmo quando tudo se desacelera e entra em equilibrio! Ah, mas se vc quiser mesmo sair desta sei de um lugar aqui no Canada para vc trabalhar que e um caos e leva qualquer um a loucura, psicologo, medico e tudo mais...é só me pedir que eu te dou os contatos (rsr)
bjs

Anônimo disse...

This music is from Martinho da Vila.
Take it easy menina.