28 novembro 2008

O sonho acabou? Ainda não...


Finalmente saiu alguma decisão sobre o que fazer com os pedidos de imigração solicitados após 27 de fevereiro de 2008: quem se encaixar na lista das 38 profissões em alta demanda no Canadá está dentro, os demais terão a taxa paga devolvida e deverão dar entrada em um plano B.

Pode ser o fim de um sonho para alguns, mas ainda existem outras formas de entrar legalmente no Canadá. Mais difíceis eu sei, mas não impossíveis.

Sinceramente, acho que o governo vai voltar atrás dentro de 1 ano porque o mercado de trabalho não é estático e esta lista é das profissões em alta demanda. Isso significa que ainda existe uma demanda menos urgente para outras áreas, que passarão a ter prioridade dentro de alguns anos se eles continuarem processando apenas as profissões da lista.

Estava dicutindo o assunto com algumas pessoas hoje e há algumas perguntas que ficam martelando na minha cabeça:

1) O imigrante que chegar aqui terá uma profissão em alta demanda, portanto ele não terá dificuldade em conseguir um emprego mesmo sem a famigerada experiência canadense, certo?

2) Sendo sua profissão em alta demanda e faltando gente no mercado, o imigrante receberá um salário justo de acordo com suas qualificações e experiência em seu país de origem, concordam?

3) Se as respostas anteriores foram "sim", posso concluir que não teremos mais engenheiros na limpeza ou dirigindo táxi (sem querer tirar o mérito dessas atividades).

Gostaria muito de acreditar nisto mas acho que tudo permanecerá como está.

Outra coisa que me deixa chateada é que colocaram médicos nesta lista. Será que vão facilitar e baratear o reconhecimento de diplomas estrangeiros? Duvido!

Na minha humilde opinião, esta medida foi tomada simplesmente porque não estão dando conta de processar todas as aplicações, e com isso o backlog não pára de crescer. Como eles não podem simplesmente dizer que não vão aceitar mais aplicações, resolveram criar esta regra um tanto quanto controversa.

Mas enfim, não dá para saber o que está por trás de tudo isso.
Confira abaixo a lista das profissões eleitas e veja como ficou a situação:

http://www.cic.gc.ca/english/immigrate/skilled/apply-who-instructions.asp

http://www.cic.gc.ca/english/department/media/releases/2008/2008-11-28.asp

0111: Financial Managers

0213: Computer and Information Systems Managers

0311: Managers in Health Care

0631: Restaurant and Food Service Managers

0632: Accommodation Service Managers

0711: Construction Managers

1111: Financial Auditors and Accountants

2113: Geologists, Geochemists and Geophysicists

2143: Mining Engineers

2144: Geological Engineers

2145: Petroleum Engineers

3111: Specialist Physicians

3112: General Practitioners and Family Physicians

3141: Audiologists and Speech Language Pathologists

3143: Occupational Therapists

3142: Physiotherapists

3151: Head Nurses and Supervisors

3152: Registered Nurses

3215: Medical Radiation Technologists

3233: Licensed Practical Nurses

4121: University Professors

4131: College and Other Vocational Instructors

6241: Chefs

6242: Cooks

7213: Contractors and Supervisors, Pipefitting Trades

7215: Contractors and Supervisors, Carpentry Trades

7217: Contractors and Supervisors, Heavy Construction Equipment Crews

7241: Electricians (Except Industrial and Power System)

7242: Industrial Electricians

7251: Plumbers

7252: Steamfitters, Pipe fitters and Sprinkler System Installers

7265: Welders and Related Machine Operators

7312: Heavy-Duty Equipment Mechanics

7371: Crane Operators

7372: Drillers and Blasters – Surface Mining, Quarrying and Construction

8221: Supervisors, Mining and Quarrying

8222: Supervisors, Oil and Gas Drilling and Service

9212: Supervisors, Petroleum, Gas and Chemical Processing and Utilities

NOTE: the occupations above are all Skill Type 0 (managerial occupations) or Skill Level A (professional occupations) or B (technical occupations and skilled trades) on the Canadian National Occupational Classification list.

If you are not sure if you should apply as a skilled worker, you can use the eligibility tool to get an idea of whether your application would be eligible for processing.

Federal skilled worker applicants who do not meet the above criteria will be informed of this and will have their processing fee refunded.

There are many ways to immigrate to Canada. If you don’t meet the criteria to apply under the Federal Skilled Worker Program, you may qualify under another category. Learn more about your options.


Minister Kenney announces immigration levels for 2009; Issues instructions on processing federal skilled workers

Ottawa, November 28, 2008 — Canada will stay the course on immigration in 2009, welcoming between 240,000 and 265,000 new permanent residents, Jason Kenney, Minister of Citizenship, Immigration and Multiculturalism, announced today.

“While countries such as the United Kingdom and Australia are talking about taking fewer immigrants, our planned numbers for 2009 are on par with last year and are among the highest for this country over the past 15 years,” Minister Kenney said. “The numbers reflect a continued commitment to an immigration program that balances Canada’s economic, humanitarian and family reunification goals.”

The 2009 plan includes up to 156,600 immigrants in the economic category; 71,000 in the family category; and 37,400 in the humanitarian category.

Minister Kenney also announced another step in measures to improve the immigration program’s responsiveness to Canada’s labour market. Retroactive to February 27, 2008, the date specified by the Federal Budget, the Action Plan for Faster Immigration includes issuing instructions to visa officers reviewing new federal skilled worker applications to process those from candidates who:

  • are in 38 high-demand occupations such as health, skilled trades, finance and resource extraction; or
  • have an offer of arranged employment or have already been living legally in Canada for one year as a temporary foreign worker or international student.

The list of 38 occupations was developed after consultations with the provinces and territories, business, labour and other stakeholders. New federal skilled worker applications that do not meet the eligibility criteria outlined above will not be processed, and the application fee will be fully refunded. This, along with funds set aside in the 2008 Budget to improve the immigration system, will stop the backlog from growing and will start to draw it down.

“The eligibility criteria apply only to new federal skilled worker applicants and will not affect Canada’s family reunification or refugee protection goals,” said Minister Kenney. “Applicants who aren’t eligible for the federal skilled worker category may qualify under another category, such as the Provincial Nominee Program, or as temporary foreign workers, which could then put them on a path to permanent residency through the new Canadian Experience Class. There are many ways to immigrate to Canada.”

The Department has expanded its website in an effort to make it easier for people to navigate the range of immigration options open to them. The site now includes a specific section for employers (www.cic.gc.ca/employers) and a new interactive tool (www.cic.gc.ca/cometocanada) that matches information provided by potential applicants with immigration programs that best suit their circumstances.

“We expect new federal skilled worker applicants, including those with arranged employment, to receive a decision within six to 12 months compared with up to six years under the old system,” said Minister Kenney. “All other economic class applications—including applicants chosen by Quebec, provincial nominees, the Canadian Experience Class, and live-in caregivers—will continue to be given priority.”

These improvements, coupled with a number of recent initiatives that include the introduction of the Canadian Experience Class, bring Canada in line with two of its main competitors for highly skilled labour: Australia and New Zealand. Both of these countries have eliminated their backlogs and have systems that deliver final decisions for economic applicants within a year.

“The recent steps this Government has taken to improve our immigration system will help ensure that Canada remains competitive internationally and responsive to labour market needs domestically,” said Minister Kenney.


8 comentários:

Sustenido disse...

Pois é, Jeanne. Concordo com as suas considerações. Eu sou enfermeira e apesar de não ter interesse em atuar na área aqui, fui me informar sobre a validação do meu diploma - afinal, sem a validação ele não passa de um papel, certo? Só que é tanta burocracia e tantos "detalhes" que eles fazem questão que do meu ponto de vista só dificultam as coisas.
Por exemplo: em uma das fases do processo eles exigem que cada um dos meus empregadores brasileiros preencham um formulário (em inglês, claro) fornecendo meu número de horas trbalhadas e outros comprovantes de exerício da profissão e enviem diretamente de volta para o comitê. Eu trabalhei na prefeitura da cidade de Diadema na grande SP e conhecendo o serviço público, vc acha que esse papel vai sair da mesa de alguém? Nem eu! Logo essas "horas" que eu fiz lá simplesmente não iam contar.
Tenho certeza que outras profissões da lista devem encontrar tanta ou mais dificuldade que eu.
Ou seja, se depender de mim a demanda por enfermeiras vai continuar. Aceitar a carteira profissional ou declaração do empregador já seria um bom começo...
Espero que vc esteja certa e que seja só uma medida temporária.

Paula Regina disse...

Concordo com você que tudo permanecerá como está e que a resposta para os 3 pontos que você levantou continuará sendo um enorme e doloroso NÂO!
bjs.

leticia disse...

vixe, isso tb pra quebec?
se for vai ser terrivel, pois temos um amigo que está a dois anos aqui e ia entrar com a papelada em março... terrivel!

Carol, Ênio e Leila disse...

Isso chega a ser cruel. Fiquei passada. Acredito que eles teriam que anunciar as profissões e, só depois, parar de aceitar aplicações das profissões fora da lista. Agora, depois de tantos meses, devolver o dinheiro? Como se o único investimento dessas pessoas fosse o dinheiro. Isso é o de menos. Quando penso no tamanho do nosso investimento emocional, da preparação, do estudo, das pesquisas... Dá uma raiva danada.

Um abraço,
Carol

Rogério disse...

Quase certeza que a mudança é apenas na porta de entrada mesmo, pq o resto continuará a mesma coisa.

Abraço!

Rogério Lima

Giselle disse...

Conhcodo com o seu ponto de vista. Conheci médicos que atuavam em seus campos no país de origem que só encontraram barreiras aqui.Não conseguem trabalhar apesar de toda a sua experiência. Não têm incentivo e nem uma luz no fim do túnel. Será que vão facilitar em alguma coisa?

Tharso disse...

Não tem como não concordar com a sua opnião, e como foi dito, daqui algum tempo tudo volta como está...Uma das coisas que me fez escolher a area de TI é que em qualquer lugar alguem precisa de você, independente do país que você vá o mercado está sempre aquecido!!

Boa semana !!

K disse...

Minha grande questão é: o sistema de pontuação continua valenod normalmente? Porque, convenhamos, os aspirantes a imigrantes são, em sua maioria, de países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Eu posso estar muito enganada, mas, como acontece no Brasil (e diferente do que aocntece aí), um eletricista, por exemplo, jamais vai ter pontuação suficiente pra passar pelo processo, apesar de ter conhecimento de sobra na sua profissão. A maioria das profissões que eles colocaram vai bater nessa questão e eu acho que eles só conseguiriam suprir essa necessidade se fizessem uma espécie de "sponsorship" para esse povo.

Vamos torcer para que eles facilitem a validação de diplomas, né?

Beijo,

K.