13 setembro 2008

Valeu a pena imigrar?

No post anterior falei sobre questões que deveriam ser levadas em consideração antes de se tomar a decisão de imigrar e ponderar se você estaria disposto a enfrentar todos os desafios e dificuldades que apareceriam pela frente.

Desafios enfrentados e dificuldades vencidas, é hora de avaliar se valeu a pena ter imigrado.
Conheço algumas famílias que vieram para cá sem que as duas partes que compõem o casal estivessem de acordo, e isso torna a vida bem difícil, já que um deles pensa em voltar ao Brasil o tempo todo. Há casos, inclusive, de pessoas que se recusam a aprender Inglês. Olha que não estou falando de um caso isolado, isso é mais comum do que pensamos!

Pois bem, quando você imigra uma coisa inevitável é a melhora do seu Inglês. Eu sei, você achava que falava muito bem lá no Brasil, mas chegou aqui e ficou se sentindo um índio falando, não é? Tudo bem, eu me sinto assim até hoje, mas pelo menos sou um índio que fala um pouquinho melhor depois de 1 ano por aqui. A quantidade de expressões que se aprende só pelo fato de estar em um país de língua inglesa é imensa, um considerável enriquecimento em seu vocabulário. Mas tem uma coisa que considero a mais importante neste processo todo e é algo que ninguém pode tirar de você: experiência de vida!

Duvido que a experiência que um morador de Toronto tem aqui possa ser equiparada à experiência de um morador de qualquer outra cidade no mundo por causa da riqueza multi-cultural. Sei que o multi-culturalismo é uma das bandeiras que mais vemos mas só quem vive esta realidade consegue entender o que isso significa.

Você vai acabar aprimorando seus conhecimentos de Geografia e História mesmo que não queira porque sempre vai encontrar pessoas de todas as partes do planeta, algumas até de países dos quais nunca ouviu falar.

Também vai aprender um pouco sobre religião porque apesar de não ser um assunto comum no ambiente de trabalho ela está presente na vida das pessoas e algumas coisas simplesmente não há como esconder: o fato dos indianos não comerem carne de vaca ou dos muçulmanos não comerem carne de porco e jejuarem em determinado período do ano, por exemplo. Uma hora ou outra você vai acabar conversando com essas pessoas sobre estes temas e vai aprender muita coisa sobre ele.

Seus valores mudam (acredito que para melhor) bem como a forma com que você via seu país. Acho que você fica muito mais crítico porque agora consegue ver a situação de um outro ângulo , o que te deixa muito mais chateado com os rumos do Brasil e muito mais certo de ter tomado a melhor das decisões ao deixá-lo.

Todas estas são coisas que você "ganha" ao imigrar simplesmente pelo fato de se relacionar com pessoas diferentes em um país que não o seu, são parte do "pacote". As outras coisas acabam vindo como consequência daquilo porque você lutou e nada melhor do que a qualidade de vida.

Quando falo de qualidade de vida não me refiro somente à segurança ou educação, mas ao próprio fato de morar em uma cidade infinitamente menor que São Paulo (no nosso caso) nos proporciona uma vida mais tranquila, com menos filas e stress (não que eles não existam).

Para nós imigrar valeu a pena sim e continua valendo, senão já estaríamos de volta à terrinha. Mas acho que mesmo para aqueles que tiveram uma experiência negativa acredito que o fato de terem vivido aqui lhes trouxe um aprendizado para a vida inteira. É impossível você deixar seu país, conhecer algo diferente e voltar com os mesmos conceitos.

5 comentários:

Erasmo disse...

Excelente texto... e que continue valendo a pena! Abraços e sucesso!

guerson disse...

Concordo plenamente! E é por isso que eu acho que todo mundo deveria ter a oportunidade de passar ao menos um ano fora uma vez na vida... É um crescimento fora do comum.

Um dos meus professores acha incrível o fato dos filhos dele terem amigos de todas as pertes do mundo. O time de futebol deles parece a mini-ONU. Ele disse que o melhor disso é que as crianças crescem "colour-blind", ou seja, elas já não vêem as cores das pessoas.

Por isso que eu sempre rio ou me espanto com o horror que as pessoas têm da imigração na Europa. Se eles soubessem o quão positivo isso pode ser...

Re disse...

Exatamente isso Jeanne!
Parabéns pelo texto....
A experiência de morar fora é válida em muitos aspectos, como vc citou....
Parabéns por 1 ano de Canada e pelas conquistas! :-)
Bjs

Taís Jacques disse...

Nossa Jeanne e seu post ficou fantástico!!! Vc falou de algo que eu sempre acreditei, que não há nada melhor nessa vida, do que conhecer outras culturas e pessoas de vários lugares, p/ cada vez mais apreendermos mais sobre o ser humano e não ficar só nesse nosso mundinho...É tudo que eu gostaría, acredito que nunca é tarde p/ apreendermos o que quer, que seja, espero que o Consulado leve isso em consideração, apesar de achar isso difícil...

bjs

Taís

Edvani disse...

Muito bem elaborado o texto Jeanne! A experiência de vida que ganhamos aqui não tem preço! Por outro lado, fiquei pasma em saber que você conhece pessoas que se recusam a aprender a língua! Imagino o quão difícil não é a vida delas pois aqui em Montréal não temos que aprendermos apenas uma língua, mas, duas! Se você pudesse postar um texto com algumas expressões do seu dia-a-dia ficaríamos gratos!

Abçs e sucesso pra vcs!

Edvani & Régis