04 agosto 2007

Uma noite na Espanha

Otília e Haroldo

Hoje foi o dia de nossa primeira mudança. Logo cedo o Luiz e a Diane passaram no hotel para pegar os mais de 120 quilos que temos em malas e seguimos para nosso "homestay".

Hoje também foi dia de recebermos visitas: Otília - irmã do Pedro, seu marido Haroldo, a filha Beatriz, a d. Antonieta mãe do Pedro que veio visitar as filhas nos EUA com um porta malas abarrotado de coisas para nossa futura casa. Claro que ela voltou com ele quase cheio porque não temos como "armazenar" tudo em um quarto com mais milhares de malas. Mas o bom disso tudo é que não vamos precisar comprar quase nada quando nos mudarmos.

Como estamos próximos ao bairro Português eles fizeram questão de dar uma voltinha para conhecer o Nosso Talho, a Churrasqueira do Sardinha e todo o comércio da região. Ficamos incumbidos de levar paio pra Otília quando formos visitá-la. Espero que essa não seja uma missão impossível.

À noite, ela e o Haroldo nos levaram a um restaurante espanhol para comer "tapas".
Segundo a Otília, na Espanha as pessoas costumam jantar tarde, por volta das nove e meia da noite porque em torno das 19 horas elas se sentam em restaurantes ou bares para comer "tapas" que nada mais são dos que aperitivos.

O local escolhido foi o Embrujo Flamenco, que fica na 97 Danforth Ave. É necessário fazer reserva antes porque o local lota por causa da deliciosa comida e das danças flamencas que são apresentadas ao vivo.

Tem "tapas" para todos os gostos, inclusive o vegetariano, mas o que eu mais gostei foi o Solomillo en Salsa de Mostaza, pequenas fatias de carne de boi ao molho de mostarda suave sobre uma cama de fritas. Foi a primeira vez que comi algo gostoso nessa cidade. Pena que as porções são pequenas, por isso recomenda-se que cada pessoa peça 4 tipos de tapas.

Entre as coisas "esquisitas" da casa estão o camarão com molho de chocolate, que eu não sei se é bom porque não como coisas que nadam. Tem também o damasco envolto em bacon. Parece estranho mas eu me rendi à novidade e adorei! Até o Pedro que não gosta de damasco deliciou-se com vários pedaços.

A carne de avestruz também é saborosa. Apesar de ser considerada "branca" ela tem aparência e gosto praticamente idêntico ao da carne de boi, com a vantagem de ser muito mais saudável, o problema é o preço.

A atração da noite ficou por conta de 2 dançarinas (acho que eram legítimas espanholas) e um rapaz que toca violão enquanto elas animam o público com suas castanholas.

Ah, o melhor de tudo isso? A comida não tem pimenta!

Eu, Pedro e dona Antonieta no Embrujo Flamenco

5 comentários:

Ana Celia disse...

Oi Jeanne,
caso vc precise de um lugar para guardar alguma coisa e' so' falar... temos um basement vazio...:)

Bjs,
Ana

leticia disse...

Jeanne, que delicia de programa!
Fiquei aliviada e feliz por vc ter arranjado uma casinha boa para as pequenas! Abraços mil, Leticia

K disse...

Hummm... deu água na boca! Pelo que tenho aocmpanhado, parece que a comida tem sido o maior obstáculo pra você nesse início, não? Mas acho que com o tempo você descobre lugares com comida do jeito que você gosta.

Beijo,

Camila.

Alexandra disse...

realmente, os espanhóis não comem NADA apimentado... se bem que aqui eles até poem uma pimentinha nas batatas bravas que não tinha nas batatas que comi na espanha...

;) Conexao Toronto disse...

Pareceu delicioso... jaanotei a dica!!

Thanks!!

;)